Páginas

segunda-feira, 30 de dezembro de 2019

A economia da Câmara de Faxinal é ainda maior que o valor devolvido (205 mil reais)

Resultado de imagem para vereadores faxinal 2019
MESA DIRETIVA
1º Secretário, Presidente, Vice-Presidente e 2º Secretário
Resultado de imagem para paulinho portela presidenteO Presidente da Câmara Municipal de Faxinal, vereador Paulo Vitor Portela (Paulinho Portela - PSD), encerrou seu primeiro ano de gestão com uma devolução de sobras financeiras ao Executivo Municipal, no valor de R$. 205.000,000 (duzentos e cinco mil reais). Esse valor significa a economia financeira feita entre o valor recebido e as despesas efetivamente executadas no exercício financeiro que se finda, porém, uma análise mais apurada, desenvolvido pela equipe técnica demonstra que a economia na verdade foi bem maior. Pelo ofício nº 168/2019, de 06 de dezembro último, destinado ao Executivo Municipal, fica esclarecido que o orçamento da Câmara aprovado para o exercício de 2019 é no valor de R$. 2.016.000,00 (dois milhões e dezesseis mil reais) e que a despesa executada foi de R$. 1.754.362,32 (um milhão, setecentos e cinquenta e quatro mil, trezentos e sessenta e dois reais e trinta e dois centavos), gerando uma economia de dotação no valor de R$. 261.637,68 (duzentos e sessenta e um mil, seiscentos e trinta e sete reais e sessenta e oito centavos), o que corresponde a um valor executado a menor da ordem de 12,98% do orçamento vigente para o Legislativo Municipal. Contudo, o Contador João Pedro Taborda explica “que pela arrecadação efetivamente realizada pelo município no exercício de 2018, que é a base de cálculo legal,o legislativo municipal teria como limite para recebimento de transferências de numerários do executivo municipal em 2019, o montante de até R$. 2.490.933,26 (dois milhões, quatrocentos e noventa mil, novecentos e trinta e três reais e vinte e seis centavos), o que eleva a economia executada para R$. 736.570,94 (setecentos e trinta e seis mil, quinhentos e setenta reais e noventa e quatro centavos), ou seja, um gasto a menor da ordem de 29,57%, em relação ao valor a que teria por direito” – enfatiza o contador.

Nenhum comentário:

Postar um comentário