Páginas

segunda-feira, 9 de março de 2020

Borrazópolis - Julgamento dos acusados de participar do homicídio de João do Santos, o conhecido "Juruna"

Resultado de imagem para comarca de faxinal
Neste dia  09 de março, de 2020, aconteceu  na  Comarca de Faxinal,  o julgamento dos acusados de participar do homicídio de João do Santos, o conhecido "Juruna", que foi morto na noite do dia 11 de agosto, de 2018 na cidade de Borrazópolis. O crime chamou  atenção de toda região.  Um mês, depois do crime, entre os dias 14 e 15 de  setembro, a Polícia Civil de Faxinal, através do Dr. Ricardo Mendes, de Grandes Rios,  juntamente com os investigadores Fernando Serpe e Abel, deflagraram,  operação Varredura, quando foram efetuadas quatro prisões, todas elas ligadas  ao assassinato do "Juruna". Os detidos, e  que agora, em 2020, estão indo a julgamento  foram: Marcelo da Silva e seu irmão Romário  da Silva, que confessaram o crime, ou seja,  que mataram a vítima, alegado como motivo  o fato do homem ter invadido a casa, em que  residem, e ter tentando um constrangimento  ilegal contra sua mãe. Também foram detidos, mais dois jovens, um deles  das inicias A. F. M., que não foi pronunciado  e sempre negou participação; e  o quarto,  que é o jovem Marcos Vinicius Vieira Morais,  que era namorado da irmã de Marcelo.  SENTENÇA - Os três acusados foram  condenados por homicídio qualificado. No  caso de Marcelo e Romário, a pena final foi  de 07 anos, dez meses e seis dias, por conta  da redução, consequência de um ano e seis  meses que já estavam recolhidos e por conta  do reconhecimento de privilégio. Eles foram  enquadrados no artigo 121, parágrafos  primeiro e segundo, incisos três e quatro do  código penal, que é o recurso que aponta  para o impedimento da defesa da vítima e  que se utilizou o meio cruel. Já o Marcos  Vinícius, foi condenado a 06 anos, seis  meses e seis dias, pelo mesmo artigo, que é   121. A pena menor, foi porque, ao final do  júri, foi afastada a tese de ele, Marcos, havia  também praticado o inciso quatro, que impossibilitou a defesa da vítima. A  advogada, Dr. Thaynara, de Rosário do Ivaí, conseguiu convencer os jurados, que a  vítima havia tentando uma importunação sexual contra a mãe de  Marcelo e Romário, o que colaborou para  uma pena menor.
Fonte - Blog do Berimbau

Nenhum comentário:

Postar um comentário