Páginas

segunda-feira, 27 de abril de 2020

Com 140 enterros em 24 horas, Manaus bate recorde de registros desde início de pandemia

Há uma semana, média é de 100 sepultamentos por dia na capital. Antes do coronavírus, média era de 30. Mais de 300 já morreram de Covid-19 no Amazonas
22 de abril: enterro coletivo de vítimas de Covid-19 do no cemitério de Nossa Senhora Aparecida, em Manaus — Foto: Michael Dantas/AFP
Foto: Michael Dantas/AFP
Há uma semana, a média diária de enterros na cidade passou a ser de 100. Antes, a média em toda a capital amazonense era de 30 sepultamentos por dia, segundo o Sindicato das Empresas Funerárias do Estado (Sefeam). O atual número aponta parra o colapso do sistema funerário. (Veja detalhamento no fim da reportagem). Por conta desse aumento, Manaus fez uma parceria com um crematório local, e já foram realizadas cremações no último fim de semana. As empresas privadas informaram que só possuem estoque de urnas funerárias para os próximos dez dias, caso a quantidade de enterros permaneça alta. O Amazonas já tem mais de 3,8 mil casos confirmados de coronavírus, e o número de mortes já ultrapassa 300. As mortes, de acordo com a Prefeitura de Manaus, são de casos em geral, entre pacientes de Covid-19, mortos por síndromes respiratórias ou outras causas.
Dos 142 mortos enterrados neste domingo:
10 morreram pela Covid-19
47 morreram por síndrome ou insuficiência respiratória
28 tiveram registro de causa "indeterminada ou desconhecida"
57 não tiveram detalhes sobre causa da morte
"O número de sepultamentos do dia 26 agora passa a ser o maior do período, desde o agravamento da pandemia pelo novo coronavírus", diz nota da prefeitura. A maioria dos sepultamentos é feita no cemitério Nossa Senhora Aparecida, bairro Tarumã, Zona Oeste de Manaus, que recebeu a instalação de contêineres frigoríficos para armazenar corpos. Foi lá também que a prefeitura abriu valas comuns para conseguir suprir a demanda de enterros.
Fonte - Por G1 AM - www.globo.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário